10 coisas para fazer em Amsterdam além de fumar maconha

Foto: goulao

Os coffee shops são obrigatórios para quase todo mundo que visita Amsterdam. Mas locais enxergam esses locais como armadilhas para turistas que não tem o aconchego necessário, o “gezelligheid”, pedra fundamental da cultura Dutch. Claro que fumar maconha até entrar em coma no Bulldog pode ser divertido, mas ficar nisso fará você perder muita coisa boa. Siga nossas dicas e conheça Amsterdam como um local.

1. Mergulhe em arte

De Spui pegue o tram 2 ou 5 para Museumplein, onde os museus Van Gogh e Rijksmuseum vão te manter entretido por horas.

Conheça a vida de Van Gogh através da arte, de “Os Comedores de Batata” aos últimos dois meses em vida, na França.

Já a era de ouro da Holanda é o destaque do Rijksmuseum. Não perca “A Leiteira”, de Vermeer.

2. Faça viagens curtas, de um dia

A viagem de trem de quinze minutos até Haarlem vale muito a pena. Encare como uma excursão de um dia.

Visite as lojas de roupas, a catedral gótica de St. Bavo e caminhe até o museu de arte de Frans Hals.

Quando bater fome, volte até a praça e procure o espaçoso Café Brinkman. E, no caminho de volta até a estação, coroe seu dia com um drink no Café 1900 (Barteljorisstraat 10).

3. Beba

Amsterdam tem mais de 1200 pubs interessantes para encher o copo.

Comece na cervejaria da Heineken (Stadshouderkade 78) para ver como a famosa cerveja é fabricada. Depois vá ao Café Belgique e prove delícias belgas como La Chouffe e La Trappe Dubbel.

Outros destaques: a galeria/bar Schuim (Spuistraat 189), o Gollem e o In De Wildeman.

4. Curta a noite de bike

Amsterdam é mais romântica de noite, quando a cidade fica iluminada pelas luzes das pontes e dos canais.

Comece na Leidseplein, pedale até a Kerkstraat e o rio Amstel, onde você encontrará a gloriosa Skinny Bridge.

Corte pelo Waterlooplein até Jodenbreestraat, que leva ao mercado Nieuwmarkt. Faça uma visita ao Waag, um pub/restaurante onde antes ficava o muro da cidade ou até o Café ‘t Loosje (Nieuwmarkt 32-34), um típico ‘brown bar’.

5. Vá dançar

Esquente para a balada com DJs no Lux (Marnixstraat 403), Bitterzoet (Spuistraat 2), ou Seymour Likely (Nieuwezijds Voorburgwal 250). Depois entre na dança no Mazzo (Rozengracht 114), Club More (Rozengracht 133), ou no Paradiso (Weteringschans 6-8). Quem quiser um programa mais tranquilo vai encontrar no Café Alto (Korte Leidsedwarsstraat 115), onde bandas de jazz se apresentam frequentemente.

6. Compre preciosidades

Caminhe por entre as célebres nove ruas atrás dos últimos lançamentos de moda e todo tipo de compras.

Não perca a Lady Day, que vende moda européia vintage selecionada e tem preços bastante acessíveis. Procure por perfumes caros na Skins Cosmetics, mergulhe na Paul Frank Store, e seja mimado na Spoiled, onde você corre o risco de encontrar aquele jeans ideal.

7. Faça como os holandeses

Nada é mais tipicamente holandês que um naco de queijo gouda num pedaço de pão fresco.

Entre nesse ritual na Broodje van Kootje (Spui 28). Pegue um jornal do dia do outro lado da rua, na livraria Athenaeum, e sente-se num banco na praça.

Mais tarde conheça outro favorito holandês, as panquecas doces e salgadas do Pannekoekenhuis, pequeno restaurante no segundo andar de uma estreita casa de frente ao canal.

8. Dê-se ao luxo em estilo indonésio

A Indonésia, antiga colônia holandesa, é quem hoje ocupa Amsterdam. Pelo menos em termos culinários.

O ‘Rijsttafel’, também conhecido como ‘rice table’ (mesa de arroz) é um banquete de pratos indonésios, herança colonial encontrada em todo o lugar. Você também pode experimentar o Nasi Goreng, arroz frito, no Sie Joe.

Para algo mais elaborado, considere o Tempoe Doloe, na rua das boutiques Utrechtsestraat ou o Puri Mas, no coração do bairro Leidseplein.

9. Perca o dia em um café

No Café Zeezicht (Hoofdweg 456), pessoas observam o movimento do terraço, bebericando um latte estilo holandês acompanhado da melhor torta de maçã da cidade. ‘Brown cafes’, assim chamados por causa de seus interiores em madeira, são ótima pedida para quem quiser se misturar aos locais.

Não perca: De Balie, Café De Tuin (Tweede Tuindwarsstraat 13) e o Café ‘t Smalle (Egelantiersgracht 12).

10. Caminhe

Comece na ponta leste do mercado de rua Albert Cuyp, na etnicamente diversa região que é De Pijp.

É uma chance de encontrar delícias holandesas como peixes, queijos e chocolate em mais de 300 barracas.

Vire à direita na Ferdinand Bolstraat e então à esquerda na Stadshouderkade. Siga à direita na Spiegelgracht para uma caminhada entre antiguidades. À esquerda no canal Herengracht você verá esplendidas casas do século XVII. Vire à direita na Leidsestraat e vá direto para o canal Singel onde, no número 404, o Singel Lunch Café oferece sopas caseiras e sanduíches na baguete.

Sobre o autor

Marla Seidell

Marla Seidell is a freelance writer who lives in Chicago. She lived in Holland for six years, because even more than she loves traveling, she enjoys living in foreign countries. Check in with her at http://www.mediabistro.com/marlaseidell.